Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action

Blog

É só chegar o fim de ano que a ansiedade para o recebimento da remuneração extra começa a fazer parte da rotina de trabalhadores e de outras pessoas que recebem esse benefício. A ansiedade aumenta devido ao fato de muitas pessoas ainda não saberem a data de pagamento do 13° salário.

Toda pessoa que possui um registro ativo na CLT, isso quer dizer, que está registrada em alguma empresa privada, tem direito ao recebimento do 13° salário.

Esse pagamento pode ser realizado em 2 parcelas: a primeira deve acontecer entre o início de fevereiro e o fim de novembro e a segunda deve ser paga até o dia 20 de dezembro.

Se você já sabe desse detalhe, é importante ter atenção com relação à data do pagamento. Afinal, na hora de realizar seu planejamento financeiro, é importante saber quando entrará esse dinheiro para que você faça o melhor uso dele e não caia nas tentações que sempre aparecem nessa época do ano.

Data de pagamento do 13° salário: 1° parcela

Como falamos, a primeira parcela deste pagamento deve ser liberada para os trabalhadores entre 01 de fevereiro e 30 de novembro. Vale lembrar que todos impostos que incidem sobre o 13° devem ser descontados apenas no mês de dezembro, quando for realizado o depósito da parte final do benefício.

O primeiro recebimento deve ser composto pela metade do salário do mês anterior recebido pelo profissional.

De uma forma bem simples, se você vai receber essa parcela em novembro, a empresa em que você trabalha deve considerar qual foi seu salário no mês de outubro e realizar o pagamento de metade desse valor.

Para saber o valor exato do décimo terceiro é preciso realizar uma conta que tem como base os meses trabalhados, multiplicado por 1/12 avos da média do seu salário mensal. Adiante vamos explicar com detalhes esse cálculo, quando formos falar da segunda parcela do pagamento.

Outra característica importante que cerca a data de pagamento do 13° salário, mais precisamente a primeira parcela, é a oportunidade do adiantamento do benefício.

Adiantamento do 13° salário: como funciona

O adiantamento do 13° é uma opção de pagamento estabelecida por lei, que permite que a primeira parcela seja paga no momento que o trabalhador for tirar férias.

Gostou da opção do adiantamento do 13° salário? Se você está considerando essa ideia, é importante ter atenção ao prazo.

Para solicitar esse recebimento, você deve procurar o departamento de pessoas da sua empresa e pedir para adiantarem o benefício no mês de janeiro ou quando for entrar de férias. Após o pedido, caberá à empresa liberar ou não a quantia na data solicitada.

Data de pagamento do 13° salário: 2° parcela

A segunda parcela do 13° salário, normalmente, é paga ao trabalhador no mês de dezembro. Como foi dito, segundo a lei, cabe ao empregador realizar o pagamento até o dia 20 de dezembro, ou seja, essa é a data limite para você receber o restante do benefício.

Diferentemente da primeira parcela do 13°, o valor recebido na segunda parcela não é correspondente à uma metade do salário do mês anterior.

O cálculo é realizado usando a fração de 1/12 avos da média salarial de quem vai receber o benefício, multiplicando a quantidade de meses trabalhados ao longo do ano, menos a metade paga na primeira parcela.

Veja um exemplo: se você recebe R$1.200,00 por mês, na primeira parcela do 13° recebeu R$600,00. Considerando que você trabalhou durante todo ano em questão, para a segunda parcela, será feita a seguinte conta:

  • 1/12 avos de R$1.200,00 (salário mensal) = R$100,00
  • R$100,00 x 12 (meses trabalhados) = R$1.200,00
  • R$1.200,00 - R$600,00 (primeira parcela) = R$600,00

Apesar dos números parecerem redondos, não é tão simples assim. Algumas situações tornam este cálculo um pouco complicado, veja a seguir:

  • Horas extras e adicionais noturnos devem ser levados em conta na hora de calcular a segunda parcela do 13°. Esses valores devem ser considerados na hora de estabelecer a média do salário mensal.
  • Se o trabalhador passou mais da metade de um mês sem trabalhar e não apresentou a justificativa das faltas, deve ser descontado o mês na hora de multiplicar pelos meses trabalhados.
  • Os descontos devem ser aplicados na segunda parcela do 13°.

Para entender melhor quais descontos são esses, aprenda mais sobre eles a seguir:

Descontos que são aplicados no décimo terceiro:

A parte de descontos merece atenção especial, já que muita gente se assusta quando recebe a segunda parcela do décimo terceiro e não encontra o valor integral da outra metade do salário. Os impostos que são aplicados nessa remuneração são iguais aos de qualquer recebimento do trabalhador e devem ser levados em conta na hora de fazer seu planejamento financeiro.

Veja o que é descontado na segunda parcela do 13°:

INSS: este desconto deve ser aplicado separado do salário normal de dezembro de dezembro, deve aplicar um desconto de 8%, 9% ou 11%, dependendo da variação da remuneração de cada um.

IRRF: deve ser aplicado conforme a tabela progressiva do Imposto De Renda. É importante destacar que também precisa ser separado da folha de pagamento do mês de dezembro.

Saiba o que fazer com o 13° salário

Agora que a data de pagamento do 13° salário ficou esclarecida, é preciso que você pense em uma situação muito séria: o que você vai fazer com o dinheiro recebido?

Com o recebimento do 13°, muitas pessoas utilizam o dinheiro para o pagamento de contas atrasadas e a quitação de dívidas.

Sem dúvidas essa é uma atividade muito aconselhada, afinal, acertar sua situação financeira deve ser uma prioridade.

Entretanto, é preciso considerar a oportunidade de ver essa renda extra rendendo, para gerar lucros que podem te ajudar a realizar seus sonhos, seja a compra de um carro ou mesmo a viagem do próximo ano.

Para isso, é preciso que você comece agora mesmo a escolher boas opções de investimentos para esse dinheiro. A Poupança é a forma mais conhecida pelos brasileiros de juntar recursos, porém, não é tão vantajosa quanto muitos ainda acreditam.

A caderneta possui um baixo rendimento, quando comparado a outros investimentos tão seguros quanto ela. Além do baixo rendimento, deixando seu dinheiro ali, ao retirar você terá perdido poder de compra, pois o seu rendimento não acompanhou o mercado.

Por que investidores inteligentes não aplicam seu 13º na Poupança?
Descubra agora

Melhores investimentos para o 13° salário

Há quem invista o 13° em investimentos melhores que a Poupança e consegue ver esse dinheiro transformado em resultados positivos. É essa possibilidade que investimentos em renda fixa e na Bolsa de Valores permitem.

Quando falamos em renda fixa, estamos falando sobre investimentos que possuem tempo de duração e rentabilidade definidos. Isso significa que você deixa o seu dinheiro parado por um tempo definido e pode saber quanto resgatará ao final deste período. Alguns exemplos de investimentos em renda fixa são:

Por outro lado, o investimento na Bolsa de Valores permite que você invista seu dinheiro em ações de empresas e outros ativos, podendo lucrar com a variação dos preços no mercado. Se você tem medo dessa modalidade por ser uma opção muito arriscada, não precisa se preocupar. Na Toro, você pode investir já sabendo quais serão as suas chances de ganho e os riscos de cada ação.

Invista nas melhores oportunidades da Bolsa com um clique.
Veja agora

Receba atualizações

E-book Guia completo do Investidor Iniciante

Últimos artigos

New Call-to-action