Blog

Como investir em Renda Fixa: Aprenda o passo a passo

como-investir-em-renda-fixa

O que é Renda Fixa?

Antes de mostrar como investir em renda fixa, vamos primeiro entender o que é a renda fixa.

Esse investimento pode ser entendido como um empréstimo, no qual o investidor empresta dinheiro a uma instituição (que pode ser um banco, uma empresa ou mesmo o Governo) e em troca, recebe o valor de volta corrigido com juros. Desta forma, essa instituição interessada em captar os recursos no mercado, emite um documento (título) onde se compromete a devolver o dinheiro pago acrescido de juros em uma data preestabelecida.

Em outras palavras, os títulos de renda fixa são caracterizados pela definição dos fluxos financeiros futuros, onde o emissor (tomador de recursos) e o aplicador (investidor) estabelecem, no ato da operação, a forma de remuneração que será utilizada.

A pergunta “como investir em renda fixa?” é muito comum ao investidor brasileiro, uma vez que já é habituado a um cenário econômico de juros alto, que permitem um bom retorno para esse tipo de aplicação.

Outro fator que leva o investidor brasileiro a optar pela renda fixa é a segurança. Muitos títulos são garantidos pelo Fundo Garantido de Credito, o FGC, e outros são emitidos pelo próprio governo, o que também gera segurança ao investidor.

As aplicações em renda fixa têm característica inversa aos investimentos de renda variável (Veja como investir em ações), porque nele é possível prever o valor que será recebido pelo investimento, pois os valores já são previamente definidos.

No Brasil, os títulos de renda fixa são emitidos por instituições públicas e privadas, e são classificados como prefixados, pós-fixados e híbridos, e essas características são definidas pelo emissor dos títulos. Vamos ver detalhadamente como é essa classificação:

  • Títulos Prefixados - são títulos que têm o rendimento vinculado a uma data de vencimento e o valor é previamente definido. Nesse investimento, o aplicador já sabe desde o inicio o quanto vai receber e resgata o valor montante da operação na data de vencimento que foi previamente acordada.
  • Títulos Pós-Fixados - nesta modalidade, o valor de resgate somente será conhecido no vencimento, uma vez que o rendimento desses títulos está atrelado a variação de um indicador, que pode ser um índice (CDI, IGP-M, IPCA, Taxa Selic, etc) ou uma taxa de câmbio entre a moeda nacional (Real) e uma moeda estrangeira (dólar, euro, etc)
  • Híbrido - Possui característica de produto prefixado e pós-fixado. Normalmente tem rentabilidade formada por um índice e taxa de juros. Exemplo: IPCA + 10% de juros

A maioria dos investimentos de renda fixa disponíveis no mercado podem ser prefixados, pós-fixados e também híbridos, como por exemplo:

Como investir em renda fixa em 3 etapas

Agora que já foi esclarecido o que é a renda fixa, vamos aprender como investir nela.

1º Abrir conta em uma corretora

O primeiro passo para investir em renda fixa é abrir conta em uma corretora. É ela que fará o intermédio entre você e o mercado. Esta conta parece uma conta corrente convencional, como a que você tem no seu banco, e através dela você pode acessar aos produtos de renda fixa, entre outros ativos financeiros, como se estivesse comprando em um site de compras pela internet, já que as transações são feitas eletronicamente.

Uma boa dica é escolher uma corretora independente, ou seja, que não é vinculada aos bancos, pois, sendo independente, ela poder ter um leque de produtos maior.

Por exemplo:

Aplicando seu dinheiro em renda fixa pelo Banco X, ele irá te oferecer apenas produtos do próprio banco, como: CDB do Banco X, LCA do Banco X, e etc. Assim você só poderá comparar a rentabilidade e característica dos produtos de forma limitada, entre apenas aqueles que o banco lhe oferece.

Já investindo através de uma corretora independente, você terá acesso a um leque de produtos muito maior podendo então acessar diversos produtos financeiros, CDBs e LCAs dos bancos e instituições financeiras A B C...X, Y e Z. Assim, você poderá comparar melhor todos estes produtos para saber quais tem maior rentabilidade e são mais adequados para o seu perfil de investidor.

New Call-to-action

2º Enviar o dinheiro para a corretora

Após a abertura da conta, você precisa fazer a transferência, para a corretora, dos recursos que deseja direcionar para os seus investimentos. Essa transferência é bem simples e pode ser realizada através de um DOC ou TED de qualquer banco que você possua conta corrente.

Após realizar o envio dos recursos, basta você aplicar nos produtos de renda fixa que deseja. Na próxima etapa veremos como é simples adquirir estes produtos.

3º Adquirindo produtos de renda fixa

Agora que você já tem uma conta aberta na corretora e direcionou para ela o dinheiro para investir em renda fixa, você só precisa escolher em quais produtos deseja aplicar.

Através da plataforma on-line da sua corretora, você conseguirá acessar a sua conta e fazer seus investimentos, sem precisar sair de casa.

Você poderá filtrar os produtos que deseja utilizando, como referência, o tipo de produto, o vencimento, o prazo de carência, o valor mínimo e máximo que deseja aplicar e a rentabilidade que deseja alcançar com o investimento. Neste momento é importante fazer uma boa análise dos produtos para que possa fazer a escolha certa.

Conheça alguns dos produtos de renda fixa:

  • Debentures: Papel emitido por empresas para captação de recursos no mercado. Este investimento tem característica de longo prazo;
  • Letra de cambio: São títulos emitidos por instituições financeiras (não-bancárias) com a função de captar recursos para estas instituições;
  • LCILetra de Crédito Imobiliário: Têm a função de captar recursos para os bancos possam direcionar para investimentos no setor imobiliário;
  • LCA - Letra de Crédito do Agronegócio: Têm a função de captar recursos para os bancos possam direcionar para investimentos no setor de agronegócio;
  • Títulos do Tesouro: Títulos emitidos pelo governo para captar recursos no mercado e direcioná-los para o financiamento do deficit orçamentário, realizar operações para fins específicos definidos por lei e refinanciar a divida pública.

E por que não investir na poupança?

como-investir-renda-fixa-ou-poupanca

A poupança apresenta as mesmas características dos produtos de renda fixa, como:

  • Captar recursos para o tomador (bancos)
  • Remunerar o investidor (cliente);
  • Ser garantida pelo FGC;

Apesar disso, ela não deve ser considerada com uma opção de investimento, devido a não ter poder de rentabilidade.

Acaba não sendo vantajoso aplicar na poupança, quando levamos em consideração a inflação, pois o ganho real não fica viável. Vamos entender isso melhor através de um exemplo:

O rendimento poupança hoje, em outubro de 2015, é de 0,5% ao mês mais TR. Um rendimento anual de aproximadamente 6%. Já a inflação acumulada está em 9,5% (conforme dados do Banco Central).

Logo: 6% - 9,5% = -3,5%

Subtraindo o rendimento da poupança do valor da inflação acumulada, descobrimos que o rendimento real anual será negativo. Então no final das contas, aplicando na caderneta de poupança, você estaria perdendo dinheiro. 

Portanto, deixar o dinheiro parado na poupança só é melhor do que deixá-lo debaixo do colchão, dentro do porquinho ou mesmo parado na conta corrente. Ela pode servir apenas para guardar pequenas quantias que estão sobrando, mas, se tratando de investimentos, não é a opção ideal.

O que é o FGC?

O Fundo Garantidor de Credito (FGC) é uma entidade privada, sem fins lucrativos que administra os mecanismos de proteção aos investidores, frente as instituições financeiras que são associadas a ele. Ele faz isso para manutenção do Sistema Financeiro Nacional e, também, para prevenir crises bancárias.

O FGC garante em até R$250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) por CPF e por Instituição Financeira, considerando o valor principal e os juros acumulados do investimento. No caso de conta conjunta, o valor da garantia também é limitado a R$250.000,00 por conta, e o valor ressarcido é dividido igualmente entre os titulares.

Estes são os produtos de renda Fixa que são garantias pelo FGC, em até 250 mil reais:

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário)
  • RDB (Recibo de Depósito Bancário)
  • LC - Letra de Câmbio
  • LCI - Letra de Crédito Imobiliário
  • LCA - Letra de Crédito do Agronegócio
  • Letra Hipotecária

Alguns investidores escolhem aplicar em renda fixa pois não querem ter exposição ao risco. Mas mesmo investidores mais arrojados, que operam ações no Day Trade, por exemplo, ou mercado futuro, opções e fundos, utilizam a renda fixa como maneira de diversificar seus investimentos, diminuindo o risco. Isso pode ser feito utilizando alguns produtos de renda fixa como margem de garantia, o que te permite ganhar até 8 vezes o seu dinheiro para investir.

Diversificar os investimentos é importante, porque, além de potencializar os resultados, reduz o risco das aplicações, afinal as perdas com um investimento podem ser compensadas pelo ganho de outro.

Por isso, antes de investir, sempre é importante conhecer as opções de investimento disponíveis no mercado, e analisar aquela que mais se encaixa em seu perfil e planejamento.

Guia completo do investidor iniciante - Ebook

E-book Guia completo do Investidor Iniciante

Últimos artigos

New Call-to-action