<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=690458111055947&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action

Blog

Investir na Bolsa hoje em dia: Raio-X de Julho/2016

investir-na-bolsa

O ano de 2016 continua a surpreender investidores pelo país afora. O cenário político-econômico interno e externo não deram trégua nos grandes acontecimentos, estes que mexeram com nossa Bolsa e, principalmente, com nossos investimentos. São tempos como esses que exigem uma atenção redobrada do investidor. A informação pode separar a oportunidade da década de um grande contratempo financeiro.

Foi com esse intuito que esse material foi criado: um compilado de informações irá, sem dúvida, te auxiliar a investir na Bolsa e tirar os melhores resultados mesmo em tempos adversos!

Faça como os grandes investidores!
Descubra como investir na Bolsa

Alguns acham que anos como 2016 não são favoráveis aos investimentos de Renda Variável. Entretanto, é exatamente o contrário! Veja aqui como tempos turbulentos podem fazer seu dinheiro trabalhar por você!

Importante: informe-se para investir na Bolsa!

Dias como esses assustam muitos potenciais investidores. É exatamente o que os difere dos grandes estrategistas e de todos que estão sempre buscando bons retornos financeiros.

São tempos como esses que preparam o terreno para grandes investimentos, sabia disso?

Quem optou por investir, nos anos 2000, aproximadamente R$ 10 mil em ações da Alpargatas (Havaianas), por exemplo, hoje tem algo em torno de R$ 850 mil reais!

Saiba mais no vídeo abaixo

 

O risco é colocado como obstáculo para pessoas que não entendem como investir na Bolsa de forma eficaz. Entretanto, o risco não é um problema: o real perigo está em não o conhecer!

Em qualquer modalidade de investimento ele está presente. Risco não é só perder dinheiro, mas, principalmente, deixar de ganhar. Desprezar o cenário que está inserido é a forma de se colocar mais exposto às adversidades. É por esse motivo que desenvolvemos esse material.

Tome o controle da situação e comande seus investimentos!

Aqui você encontrará um apanhado do mês de Julho de 2016. Conseguirá entender o que vem acontecendo com a Bolsa de Valores e as consequências e oportunidades que o cenário te traz!

Aprenda a investir na Bolsa de Valores

Política, Economia e Mercado: Raio X de Julho/16

Mudanças políticas, impasses econômicos e disputas mercadológicas: essa tríade acompanhou o dia-a-dia do investidor brasileiro no mês de julho. Prudente foi aquele que soube coletar as informações certas para basear seus investimentos.

Foi um mês politicamente conturbado, tanto no Brasil quanto externamente. Repleto de novidades no mercado, encantou alguns investidores e assustou outros. É fundamental saber recolher informações certas para triunfar em cenários como esses e trazer bons retornos ao investir na Bolsa!

Cenário interno: breve resumo do julho brasileiro

investir-na-bolsa-brasil

A primeira semana de julho começou com uma disputa política que vem sendo arrastada desde o afastamento da presidente Dilma. O número do déficit fiscal de 2017 foi o assunto que tirou o sono do presidente em exercício e de sua equipe econômica.

Os representantes do governo de Temer visavam subir o déficit para aproximadamente R$ 170,5 bilhões. Entretanto, a disputa foi vencida pelos que defenderam um corte mais significativo das contas do governo. No dia 07 desse mês, o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tornou público que o governo continuará com a meta do governo Dilma e manterá o número na casa dos R$ 139 bilhões.

No legislativo, Temer encarou o primeiro fracasso em tentar aprovar o pedido de urgência em relação a pontos da renegociação da dívida dos Estados. A derrota mostrou que é possível que a Câmara dos Deputados não aprove todas medidas “automaticamente”, possibilitando contratempos para o presidente, uma vez que deseja instalar grandes reformas, como a mudança na previdência, ajustes fiscais e alterações nas leis trabalhistas.

O mês também contou com a renúncia do presidente afastado da Câmara dos Deputados. Eduardo Cunha deixou a cadeira dando espaço a nova votação, a qual foi vencida pelo aliado de Temer, Rodrigo Maia. No mesmo dia da renúncia, foi aprovado pelos deputados um Projeto de Lei que visa finalizar a exclusividade de operação da Petrobras no Pré-Sal. O texto ainda aguarda votação na Câmara.

O nosso mercado foi fortemente influenciado pelo cenário externo, também. Inteire-se sobre os acontecimentos estrangeiros para saber agir prudentemente!

De olho no mercado

Esta sessão tem o objetivo juntar os principais acontecimentos do mês no que diz respeito aos seus investimentos na Bolsa. Para você, investidor consciente, eventos como esse não podem sair do seu radar!

1. Destaque do mês: Petrobras protagonista na Bolsa!

petrobras-acoes-petr4

O mês de julho acabou trazendo bons resultados aos investidores que acompanham os papéis da estatal de perto. As ações preferenciais da petrolífera (PETR4) alcançaram patamares que não eram vistos desde julho do ano passado.

A casa dos R$ 12 reais por ação não era atingida desde o início de Julho de 2015. Este último mês foi responsável por uma alta acumulada de 20,88% da ação, quase 150% maior que o valor marcado no dia 01/02/2016.

Essas altas recentes podem ser explicadas por diversos motivos diferentes. Passaremos brevemente cada um a seguir:

    • A estatal capitou no início do mês aproximadamente US$ 3 bilhões com novos títulos emitidos. Esses, por sua vez, possuem seus vencimentos em 2021 e 2026.
    • A empresa anunciou continuação do processo de desinvestimento. Neste mês tornaram público que desejam vender campos em Sergipe e no Ceará.
    • Avanços no processo de venda de participação da BR distribuidora.
    • A produção em Lula Central, reserva do Pré-Sal na Bacia de Campos, foi iniciada.
    • O mercado continua com uma visão positiva a respeita da direção de Pedro Parente e sua equipe.

E agora, as ações da Petrobras vão subir ou cair?
Cadastre-se grátis e receba recomendações de investimentos do melhores analistas do País

2. Dólar: diminuição da força da moeda

como-investir-no-dolar-futuro

O valor do câmbio da moeda norte-americana continua sendo muito impactado pelo nosso cenário político. O dólar começou o mês vindo de uma sequência de desvalorizações, chegando na casa dos R$3,21. Esse valor representa um recuo e aproximadamente 17% desde o início de 2016.

A sequência de leilões de swap cambial reversos, realizados pelo Banco Central, não tem como objetivo segurar a moeda e apenas oferecer ao mercado liquidez para diminuir o estoque de swap cambial. O fluxo de entrada de capital estrangeiro no país no mês de julho contribuiu bastante para a modela ficar abaixo de R$3,30.

A movimentação da moeda fez com que o Brasil mudasse sua posição no ranking do “Índice Big Mac”, você conhece esse termo?

Esse indicador foi criado pela revista The Economist e utiliza o preço do famoso sanduíche Big Mac em diferentes países para ter uma visão diferente sobre o câmbio mundo afora e seu respectivo poder de compra.

3. Surpreendendo com a Vale 

acoes-vale5

Os balanços patrimoniais das grandes empresas referentes ao segundo trimestre de 2016 foram publicados na última quinta-feira de Julho. Este fato direcionou fortemente a atenção de muitos investidores brasileiros aos grandes players do mercado.

Mesmo com uma provisão no seu balanço de R$ 3,7 bilhões, referente ao rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG), a Vale (VALE5) fechou o segundo trimestre do ano com um lucro líquido de US$ 1,106 bilhão. Esse resultado surpreendeu o mercado por estar acima das várias projeções de analistas.

Neste mês, os acionistas da mineradora vivenciaram um aumento de aproximadamente 11% no valor de seus papéis preferencias.

4. Ambev deixando a desejar

acoes-abev3

Não foram todas as empresas que surpreenderam positivamente o acionista com suas demonstrações financeiras. O mercado foi decepcionado pelos resultados da gigante Companhia de bebidas.

O lucro líquido apresentado pela empresa foi, aproximadamente, 21% abaixo das estimativas que grandes instituições financeiras haviam dado. O lucro esperado pelos analistas estava na casa dos R$ 2,59 bilhões, entretanto, a empresa não passou dos R$ 2,05 bilhões nesse trimestre. Além disso, a administração da Ambev anunciou recuos na expectativa de vendas no Brasil.

O final do mês, dessa forma, se apresentou conturbado para o investidor que segue a empresa. Desde o anúncio dos resultados, o ativo da empresa (ABEV3) recuou mais de 3%.

5. Desfecho da novela do setor Educacional

setor-educacional-estc3

O mês de junho desse ano foi marcado por uma grande saga entre gigantes da educação privada do país. Se quiser saber tudo que aconteceu, não deixe de ler o apanhado do mês de junho!

Entretanto, o desfecho da história só se deu neste mês. A Universidade Estácio de Sá (ESTC3), segunda do ranking das empresas de educação nacional, aceitou a proposta do número um da lista, Kroton (KROT3), frente a oferta da Ser Educacional (SEER3).

Não foi apenas esse fato que aqueceu o setor da educação privada no país. O governo indicou que tem a pretensão em ampliar o programa de financiamento estudantil Fies em 2017, afastando o pessimismo instalado após a Medida Provisória 741, que repassava às empresas de educação os custos de intermediação dos empréstimos.

Bolsa de Valores: o investimento do ano!

O ano de 2016 vem se mostrando surpreendente para investidores que optaram por buscar grandes retornos com a Bolsa de Valores. O número de investidores, de negociações e do volume de dinheiro nessa modalidade aumentam gradativamente.

O mês de julho foi marcado por uma significativa recuperação frente aos meses passados, com a Bolsa subindo quase 10%. O mercado continua muito volátil, cenário que favorece o aparecimento de ótimas e rápidas oportunidades de investimento.

Você sabia que a Bolsa de Valores se mostrou o investimento mais lucrativo do país no primeiro semestre? Sua rentabilidade acumulada chegou a mais de 20% nesse período! Compare seu retorno aos outros tipos de investimento:

Investimento  Rentabilidade Nominal Rentabilidade Real
Ibovespa 20,74% 16,01%
Títulos Prefixados 9,38% 5,1%
Indexados à Selic 7,85% 3,63%
Indexados ao IGPM 9,97% 5,66%
Fundos DI 7,05% 2,86%
CDB 7,27% 3,07%
Poupança 4,04% 0,01%
Dólar -20,3% -15,5%
Euro -17,4% -12,8%

 

Em Julho, os números que indicam a rentabilidade do investimento na Bolsa não foram diferentes:  o retorno acumulado desse ano já alcançou os 30%! 

Isso ajuda a explicar porque investir na bolsa está se tornando cada vez mais popular:
Não fique de fora, aprenda tudo sobre a Bolsa de Valores e saiba investir seu dinheiro!