Blog

Inflação X Poupança - Saiba o que é inflação e como se defender do que tira o sono do brasileiro

o-que-e-inflacao-investimentos-poupanca

Todos os dias o noticiário econômico traz diversos termos que de certa forma podem gerar dúvidas, principalmente para quem não trabalha diretamente no mercado financeiro. Essa é uma preocupação a ser observada pelos investidores, uma vez que estes conceitos afetam o dia a dia de milhares de brasileiros.

Alguns indicadores podem ter um impacto maior na sua vida como os que medem a inflação, a responsável por corroer o seu salário e diminuir o poder de pagamento frente aos constantes aumentos de vários itens essenciais no nosso cotidiano.

Os seus investimentos também são impactados diretamente quando isso acontece e por isso precisamos estar atentos para proteger nosso dinheiro e nossas economias.

Veja a seguir quais são os principais indicadores, como preservar seu dinheiro, aumentar seu poder de compra e obter rendimento líquido real.

Entenda neste artigo:

  • O que é inflação e quais índices são usados para medir
  • O que são índices de inflação (IPCA e IGPM)
  • Investimentos atrelados aos índices de inflação
  • O que é rendimento líquido real e rendimento bruto

O que é Inflação

A Inflação é quando temos aumento contínuo dos preços de serviços e produtos do nosso dia a dia, ou seja: o quanto um conjunto de bens e serviços ficou mais caro em relação a um período anterior, ocasionando perda do valor do nosso dinheiro (salário ou investimentos).

Um exemplo muito fácil de entender este fenômeno é quando vamos ao restaurante, consumimos o mesmo que de costume e pagamos uma conta mais cara que na semana passada. Ou quando vamos ao supermercado fazer a compra do mês e pagamos mais caro que a mesma compra feita no mês anterior.

Veja que os preços subiram, mas o seu salário não aumentou. A continuidade desse processo faz com que cada vez mais o seu poder de compra seja reduzido. Ou seja, com o mesmo dinheiro você compra menos. Isto é a chamada inflação.

As consequências também afetam diretamente a sua reserva financeira (poupança). Por exemplo:

  • Se num determinado período seus investimentos tiveram rendimento de 14% e a inflação neste mesmo período foi de 7%, pode-se afirmar que por volta de metade de seus ganhos cobriram apenas a variação dos preços (ajuste à inflação). Seu ganho real seria então de aproximadamente 7%. Se não houvesse inflação você teria um rendimento sem deduções, ou seja de 14%.

Perceba o quanto a inflação é prejudicial em sua vida e como é importante você conhecer bem os diversos indicadores de inflação. Os principais deles, sobre os quias falaremos a seguir, são:

  • Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
  • Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M)

A inflação precisa ser olhada com atenção, pois ela determina o ganho real da sua aplicação.

Inflação x poupança

o-que-e-inflacao-poupanca

Inimigo número um de qualquer economia de qualquer parte do mundo a inflação dia a dia diminui o valor do nosso dinheiro.

Um dos investimentos mais populares devido a sua facilidade, a poupança sofre bastante com a alta da inflação, que acaba por corroer os seus rendimentos.

Neste ano de 2015 por exemplo, o rendimento poupança está em aproximadamente 8,00% ao ano, enquanto a inflação já está acima de 10%.

Isso quer dizer que ao invés de lucro o seu capital está tendo na verdade uma desvalorização de aproximadamente 2%.

Aparentemente, você não sente este prejuízo porque não é como se você estivesse perdendo dinheiro, mas sim perdendo o poder de compra dele.

Os produtos e serviços ficam mais caros devido à inflação e o seu dinheiro não rende o suficiente para suprir a alta dos preços.

Por isso, é importante buscar outras opções de investimentos, que sejam beneficiados ao invés de prejudicados com a alta da inflação, sobre os quais falaremos a seguir.

Aprenda o que é IPCA e IGP-M

1) O que é IPCA

Calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde 1979, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPCA) - também conhecido como IPCA - é o indicador oficial do Governo Federal para aferição das metas inflacionárias.

O IPCA mede a variação do custo de vida das famílias como falamos acima, com assalariados com rendimento mensal compreendido entre 1 e 40 salários mínimos mensais vigentes.

2) O que é IGP-M

IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) é o indicador de movimento dos preços, calculado mensalmente pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e divulgado no final de cada mês de referência.

Atualmente o IGP-M é o índice de referência utilizado para o reajuste dos aumentos de:

  • energia elétrica
  • contratos de aluguéis de imóveis residenciais e comerciais
  • alguns tipos de seguros
  • contratos de escolas e universidades

Rendimento bruto X Rendimento real

Quando vamos escolher onde guardar nosso dinheiro e nossa poupança, seja um investimento financeiro, imobiliário ou outro qualquer, costumamos escutar com frequência os termos líquido e bruto. Conheça melhor o significado de cada um deles:

  • Rendimento Bruto Nominal: Representa quanto um investimento rendeu sem descontar os impostos e a inflação.
  • Rendimento Líquido Nominal: É encontrado quando descontamos do rendimento bruto nominal os impostos a serem pagos.
  • Rendimento Líquido Real: É o dinheiro que vai realmente para o bolso do investidor. Para calcular basta descontar do rendimento líquido nominal a inflação do período de investimento.

Investimentos atrelados à inflação: como impulsionar seus resultados

As projeções do mercado para a inflação do ano que vem continuam avançando nos últimos meses de 2015, de acordo com o boletim Focus (relatório de mercado sobre os principais indicadores econômicos brasileiros).

Diversas modalidades de investimento são indexadas pelo acúmulo do índice ao longo de 1 ano. O IPCA acumulado anual é calculado pela soma dos valores mensais ao longo dos 12 meses anteriores ao mês de aniversário do investimento.

Em 2015 a variação do IPCA em 12 meses é de 9,93%. É a mais alta considerando o período desde 2003, quando chegou a 11,02%.

Diante de tudo o que explicamos até aqui, já dá para você entender o quanto é importante proteger seu dinheiro deste grande mal chamado inflação.

Veja abaixo a evolução do IPCA nos últimos 5 anos:

Mês 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Janeiro 4,59% 5,99% 6,22% 6,15% 5,59% 7,14%
Fevereiro 4,83% 6,01% 5,85% 6,31% 5,68% 7,70%
Março 5,17% 6,30% 5,24% 6,59% 6,15% 8,13%
Abril 5,26% 6,51% 5,10% 6,49% 6,28% 8,17%
Maio 5,22% 6,55% 4,99% 6,50% 6,38% 8,47%
Junho 4,84% 6,71% 4,92% 6,70% 6,52% 8,89%
Julho 4,60% 6,87% 5,20% 6,27% 6,50% 9,56%
Agosto 4,49% 7,23% 5,24% 6,09% 6,51% 9,53%
Setembro 4,70% 7,31% 5,28% 5,86% 6,75% 9,49%
Outubro 5,20% 6,97% 5,45% 5,84% 6,59% 9,92%
Novembro 5,64% 6,64% 5,53% 5,77% 6,56% 10,48% 
Dezembro 5,91% 6,50% 5,84% 5,91% 6,41% 10,67% 

 

Portanto, em tempos de inflação alta é muito importante aprender as opções certas de investimentos disponíveis no mercado e que acompanham a inflação.

Veja abaixo como obter maiores retornos:

1. Letra de Crédito do Agronegócio - LCA

A LCA é o título emitido pelos bancos para financiar o agronegócio.

Sua principal vantagem é a isenção de Imposto de Renda, benefício concedido pelo governo como forma de incentivar o crédito ao setor.

Outra vantagem da LCA é que ela pode ser pós fixada atrelada ao CDI ou ter a rentabilidade atrelada ao IPCA ou IGPM, índices de inflação que protegem seu dinheiro.

Já a desvantagem da LCA é que ela costuma ter prazos de vencimento mais longos, não tem liquidez diária e geralmente só pode ser resgatada no vencimento.

Outra desvantagem é que não são aceitas pela BM&FBovespa como margem de garantia para operações no mercado futuro. Também são ainda menos acessíveis que o CDB, pois alguns bancos exigem aportes maiores.

2. Letra de Crédito Imobiliário - LCI

Muito semelhante à LCA, a LCI também conta com isenção de IR e é o título emitido pelos bancos para obtenção de recursos destinados a financiamentos do setor imobiliário.

Assim como a LCA pode ser pós fixada atrelada ao CDI ou ter a rentabilidade atrelada ao IPCA ou IGPM.

Sua desvantagem pode ser o aporte inicial elevado e o prazo mais longo. Também não são aceitas pela Bolsa de Valores como margem de garantia para operações de mercado futuro.

3.Certificado de Depósito Bancário - CDB

O CDB também é um título emitido pelos bancos para que eles possam se capitalizar, mas nesse caso os valores recebidos podem ser usados para financiar quaisquer atividades de crédito do banco.

Como a instituição é livre para usar os recursos, o CDB não conta com o incentivo do governo de isenção do IR e segue a tabela regressiva de IR (veja tabela abaixo).

Os CDBs podem ou não ter liquidez diária sendo que as melhores taxas são as dos títulos de prazos mais longos.

Confira abaixo um comparativo de rentabilidade entre três opções de investimento considerando CDI de 14,14% a.a e investimento inicial de R$5.000,00 e inflação 10% referência 2015:

Instrumento CDB LCI/LCA Poupança
Taxa de Remuneração* 99,00% DI 84,00% 50,00%
Retorno Bruto (%) 14,00% 11,88% 7,07%
Rendimento Bruto (R$) 5.700,00 5.594,00 5.351,50
Desconto do imposto 140,00 - -
Saldo Final 5.560,00 5.594,00 5.351,50
Inflação Período 1,04% 1,04% 1,04%
Retorno Líquido (%) 5.502,18 5.535,82 5.295,84

*Fonte: Cetip

A tributação dos CDBs é semelhante à da maioria das aplicações de renda fixa:

  • 22,5% – sobre os rendimentos ocorridos até 180 dias após a aplicação;
  • 20% – sobre os rendimentos ocorridos até 360 dias após a aplicação;
  • 17,5% – sobre os rendimentos ocorridos até 720 dias após a aplicação;
  • 15% – sobre os rendimentos ocorridos após 720 dias da aplicação.

4. NTN-Bs

As NTN-Bs são títulos públicos emitidos pelo Governo Federal e negociados nas corretoras, bancos ou diretamente no Tesouro Direto, plataforma online de negociação de títulos públicos.

Elas pagam uma taxa de juros pré-fixada e definida no ato do investimento mais a variação da inflação pelo IPCA. Os prazos são variados e, geralmente, quanto mais longo for o vencimento melhor será a taxa.

Contudo esses títulos têm alta liquidez, podendo ser vendidos de volta para o Tesouro todas as quartas-feiras. Lembrando também que neste investimento há incidência de imposto de renda conforme tabela de tributação de renda fixa.

Para investir em títulos públicos via Tesouro Direto basta abrir conta numa corretora de valores. Há uma taxa obrigatória de 0,3% ao ano, mas a corretora pode ou não cobrar uma taxa de administração extra ou taxa de custódia.

Além disso o investimento no Tesouro Direto é considerado uma das aplicações mais seguras que existem no Brasil, no entanto para quem vende o título antes do vencimento pode haver perdas, uma vez que os preços desses títulos oscilam de acordo com as perspectivas para os juros e a inflação no momento da recompra.

5. Fundos de Inflação

Os fundos de inflação são investimentos denominados renda fixa segundo classificação da ANBIMA, que visam refletir ou superar as variações dos títulos do tesouro atrelados a inflação. Aplicam em papéis com remuneração atrelada à inflação.

São títulos públicos emitidos pelo governo federal que pagam um juro pré-definido mais a variação da inflação.

Esses fundos usam como benchmark para seu desempenho o IPCA ou o IMA-B (índice de mercado Anbima), que replica o rendimento de uma carteira composta de NTN-Bs (Notas do Tesouro Nacional, série B) de vários prazos.

A maioria dos Fundos de Inflação sofrem cobrança de taxa de ADM sobre o montante investido e de imposto de renda sobre os rendimentos, portanto é preciso fazer as contas antes de aplicar.

6. Fundos Imobiliários

Para quem gosta de investir em imóveis e obter renda com aluguéis esta é a opção perfeita. Os fundos imobiliários são fundos de investimento que investem em um ou mais imóveis comerciais ou residenciais.

Uma das principais vantagens desses fundos é o fato de pagarem os aluguéis de modo regular. Essa renda fixa é isenta de imposto para a pessoa física.

Outro objetivo desta modalidade de investimento é a diversificação. Em vez de concentrar grande volume financeiro para adquirir um imóvel é possível empregar bem menos dinheiro comprando cotas de fundos imobiliários. Outra vantagem é não ter a preocupação com a manutenção que um imóvel exige.

Os fundos imobiliários permitem à pessoa física alcançar imóveis normalmente acessíveis apenas a grandes investidores, como shopping centers por exemplo.

É muito simples investir nesta modalidade, basta também ter uma conta em uma corretora.

Grande parte desses fundos tem suas cotas negociadas em bolsa de valores assim como ações. Você realiza a compra e a venda através do home broker ou mesa de operações da corretora.

Os riscos que envolvem um investimento em fundo imobiliário são:

  • Desvalorização dos imóveis em carteira;
  • Desvalorização das cotas na bolsa;
  • Risco de liquidez (caso não tenha comprador disposto a pagar naquele momento o seu preço de venda).

7. Debêntures incentivadas

Debêntures são títulos oriundos de dívida das empresas e considerados também de renda fixa.

A emissão de debêntures é uma forma das empresas conseguirem empréstimos diretamente com investidores ao invés de buscarem novos sócios ou recorrerem aos bancos.

Esses papéis não contam com a proteção do FGC, sendo assim mais arriscados que outros títulos de renda fixa privada, como as LCIs, LCAs e CDBs.

Como são emitidos por empresas privadas também são mais arriscados que os títulos públicos.

O investidor pessoa física pode investir em debêntures por meio de corretoras de valores e distribuidoras de valores que as distribuam, por exemplo as chamadas debêntures incentivadas financiam empresas do setor de infraestrutura e por ser considerado estratégico para o governo, o mesmo concede isenção de imposto de renda para a pessoa física. Em geral sua remuneração é atrelada a índices de inflação como IPCA ou IGP-M.

Como o risco das debêntures pode ser bastante elevado você deve se cercar de cuidados, conhecendo e verificando o balanço patrimonial e a classificação de risco da empresa que emitiu a debênture. Outra opção é verificar com um analista ou assessor de sua confiança a qualidade da debênture em que pretende investir.

Além disso, as debêntures tendem a ter valores de aporte maiores e liquidez mais baixa. Em geral, você tem que ficar com elas até o vencimento. Por isso costumam ser mais indicadas para aquelas pessoas que não vão precisar usar o dinheiro em um prazo mais curto.

Caso você não tenha entendido alguma parte da relação da Inflação X Investimento, entre em contato com a nossa equipe deixando um comentário aqui abaixo. Iremos lhe mostrar como é muito mais fácil do que parece investir dinheiro com aplicações atreladas a inflação.

E mais do que isso! Nossa missão no Toro Radar é ajudar na educação dos investidores. Mostrar que o mercado de capitais não é apenas para grandes e experientes investidores, mas que está ao alcance de todos, sendo assim a porta de entrada para o mercado. E você pode acessar mais informações aqui:

 

E-book Guia completo do Investidor Iniciante

Últimos artigos

New Call-to-action