Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action

Blog

ripple criptomoedas

No mundo dos investimentos, nenhum outro tema foi tão discutido ultimamente como o Bitcoin. Mesmo quem não faz a menor ideia do que seja uma criptomoeda, certamente já ouviu falar no assunto e sabe que o Bitcoin hoje já conquistou no mercado.

O Bitcoin foi a primeira a surgir, mas hoje divide o mercado com outras grandes criptomoedas. Um dos maiores exemplos desse fenômeno é o Ripple. Também conhecida pela sigla XRP, o Ripple é hoje a terceira maior criptomoeda em volume de negociação no mercado, com um valor total de dezenas de bilhões de dólares.

Antes de ir a fundo nesse assunto, confira a cotação atualizada do Ripple: 

Porém, o Ripple possui uma série de características que o diferenciam tanto do Bitcoin quanto das demais criptomoedas existentes.

Para descobrir mais sobre como essa moeda funciona e decidir se vale a pena investir ou não nesse novo mercado, confira o nosso artigo.

Gráfico e Cotação do Ripple hoje

Assim como as demais criptomoedas, os tokens de XRP podem ser comprados ou vendidos por meio das exchanges e demais mercados de moedas digitais.

Mas por causa da sua aplicação prática dentro da plataforma Ripple, os tokens XRP acabam tendo uma demanda real de utilização.

Ou seja, além da especulação natural desse mercado, o XRP também se valoriza de acordo com o crescimento nas transações dentro do sistema. Veja seu movimento em tempo real:

Devido à sua tecnologia, que permite pagamentos internacionais em tempo real a baixo custo, a tendência é que o Ripple se torne cada vez mais utilizado pelos grandes bancos ao longo dos próximos anos.

Somado ao grande interesse atual em relação às criptomoedas, o Ripple hoje é uma das melhores opções para quem está interessado em investir nesse mercado.

Mas assim como a cotação do Bitcoin, o Ripple também apresenta uma alta volatilidade. Por isso, é importante conferir sempre a cotação do Ripple com bastante frequência antes de qualquer ação.

Quer ver se o Bitcoin está subindo ou caindo hoje?
Veja o gráfico

O que é o Ripple?

Muito mais do que uma criptomoeda, o Ripple é um sistema global de transações digitais. Criado em 2012, seu objetivo é claro: funcionar como uma solução para enviar e receber dinheiro de forma rápida, barata e confiável para todas as partes.

Ou seja, diferentemente de outras criptomoedas que servem apenas como reserva de valor e meio de troca digital, o intuito do Ripple é ser uma verdadeira plataforma de pagamentos.

As transações, por sua vez, são seguras, instantâneas, com alta capacidade e baixíssimo custo.

A Plataforma Ripple, bem como a sua moeda XRP, foram criadas em 2012 pelo desenvolvedor Ryan Fugger, o empresário Chris Larsen e o programador Jed McCaleb.

Desde o seu início, o objetivo do Ripple era servir como um instrumento financeiro para transferir valores com rapidez, sem custos e de forma global, focando, principalmente, nas transações de grandes bancos e empresas.

Lançada originalmente pela empresa chamada “Opencoin”, hoje a plataforma é controlada pela Ripple Labs, tendo como CEO o cofundador Chris Larsen.

Como funciona o Ripple?

O sistema Ripple funciona basicamente por meio de 3 elementos: a sua rede de blockchain (RippleNet), os gateways (roteadores) de pagamento e os tokens XRP. Entenda melhor cada uma deles:

RippleNet

Como outras criptomoedas, a plataforma Ripple é construída sobre o sistema de blockchain. Chamada de RippleNet, se trata uma rede peer-to-peer (P2P) distribuída em várias partes que realizam operações entre si de forma descentralizada.

Mas por ser administrada diretamente pela Ripple Labs, o blockchain da Ripple é mais robusto e escalável do que o encontrado em outras criptomoedas.

Sua estrutura é capaz de aguentar até 50 mil transações por segundo, além de conseguir autenticar e realizar transferências em até 4 segundos.

Gateways de pagamento

Além do seu blockchain, o Ripple também possui a estrutura de gateways de pagamento. Eles servem como um link próprio dentro da plataforma para receber e enviar moedas pela RippleNet.

Qualquer pessoa ou empresa pode registrar e abrir um gateway. A partir dele, é possível atuar na plataforma como intermediário na troca de moedas, na liquidez e na transferência de pagamentos na rede.

A moeda Ripple (XRP)

O token de transação do sistema Ripple, chamada tecnicamente de XRP, serve basicamente como a moeda “padrão” que intermedia as transações realizadas na plataforma.

Qualquer pessoa pode comprar e vender XRP, mas diferentemente das outras moedas como o Bitcoin, o XRP é mais um protocolo de pagamento do que propriamente uma criptomoeda. Pode-se dizer que o XRP cumpre 3 funções básicas dentro da plataforma:

1. Meio de transação

A principal função do XRP é atuar como um “parâmetro comum” para qualquer coisa que é enviada e recebida dentro na plataforma. Tudo dentro do Ripple pode ser convertido e transacionado em XRP.

Logo, duas partes completamente desconhecidas podem negociar com total confiança uma na outra e realizar transações com facilidade por meio do XRP.

2. Conversor de moedas e ativos diferentes

O XRP também serve como um intermediador para negociações entre as mais diversas moedas. O sistema não faz distinções entre moedas fiduciárias ou criptografadas, permitindo que qualquer uma seja trocada por outra com total flexibilidade por meio do XRP.

Ou seja, se alguém deseja receber Bitcoins como pagamento, a outra parte não precisa necessariamente ter Bitcoins – é só enviar o valor em XRP e convertê-los em Bitcoin.

Da mesma forma, se alguém no Brasil quiser enviar dinheiro para a Inglaterra pela plataforma, não é necessário fazer o câmbio de Reais (BRL) para Libras Esterlinas (GBP). A própria plataforma se encarrega de fazer a conversão de BRL para XRP e depois de XRP para GBP.

3. Agente de segurança

O XRP também atua como agente de segurança da plataforma. Alguém só consegue transacionar dentro do sistema se possuir pelo menos 30 XRP em sua conta.

Isso limita o número de contas dentro do Ripple e garante a segurança da plataforma — já que mobilizar milhares de contas para realizar um ataque seria muito caro.

Graças a essas vantagens, o sistema Ripple vem sendo visto com bons olhos por diversas instituições financeiras ao redor do mundo.

Ao conectar bancos, empresas de pagamento, exchanges de criptomoedas e demais corporações com eficiência e rapidez, o Ripple hoje é uma solução inovadora na transação de recursos — uma operação de suma importância dentro do sistema financeiro internacional.

Como adquirir moedas?

O XRP pode ser comprado nas principais exchanges de criptomoedas do mercado, como a Bithumb, Bitfinex, Poloniex, Bitstamp e Binance. Por serem sites internacionais, o pagamento precisa ser feito em Bitcoin ou dólar.

Para comprar Ripple no Brasil com reais, o método mais seguro é comprar Bitcoins e depois trocar pela criptomoeda Iota. Com a Iota, é possível comprar praticamente qualquer outra criptomoeda disponível no mercado, incluindo o XRP.

Como minerar XRP?

Ao contrário do Bitcoin, que vai aumentando sua base por meio de novas unidades mineradas, a quantidade de XRPs disponíveis é fixa desde o início do projeto Ripple.

Isso significa que todos os seus 100 bilhões de tokens de XRP já se encontram emitidos e circulando no mercado. Logo, não é possível minerar o XRP, mas apenas comprá-lo de alguém.

A maioria dos tokens é de propriedade da própria Ripple Labs, que possui cerca de 60 bilhões de unidades na contagem mais recente.

O restante dos tokens se encontra em posse das pessoas que investiram ou estão sendo negociados diariamente no mercado de acordo com a cotação do momento.

Vale a pena investir em Ripple?

Por já ter nascido intimamente ligado ao sistema financeiro tradicional, o Ripple pode não compartilhar os mesmos ideais de descentralização e independência do Bitcoin, por exemplo.

Porém, o Ripple hoje é uma das opções de maior destaque nesse mercado — e assim como outras criptomoedas alternativas, como Litecoin, Ethereum, Iota e Bitcoin Cash, o XRP é um ativo que vale a pena ser observado.

O valor do Ripple tem crescido cada vez mais nos últimos tempos e é provável que se se valorize ainda mais no futuro. No entanto, como sempre, onde existe a possibilidade de um grande retorno também existe um grande risco envolvido.

Por isso, não se precipite: analise com cuidado todas as variáveis antes de tomar sua decisão e invista apenas naquilo que conhece.

Entretanto, quando observamos as criptomoedas como investimento, elas permanecem como opções de altíssimo risco. Não só a volatilidade, mas também a falta de regulamentação coloca seu dinheiro exposto a várias adversidades. 

Se você busca opções de investimento com alto potencial de ganho, mas não tão arriscadas, a Bolsa de Valores pode ser uma boa alternativa. Por mais que ainda exista risco nesse mercado, a fiscalização e regulamentação garante, pelo menos, a segurança da custódia e da negociação.

Investido em ações, em contratos futuros de moedas e índices, é possível alcançar resultados rápidos e bem interessantes. Para isso, a informação e o conhecimento são fundamentais. Quer começar a desbravar esse mercado?

Aprenda a investir na Bolsa de Valores. Curso grátis