Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action

Blog

Entenda como funciona o Tesouro Nacional

tesouro nacional

É bem provável que, entre uma pesquisa e outra sobre investimentos, você tenha ouvido falar sobre os títulos do Tesouro Nacional. Mas você sabe o que isso quer dizer exatamente?

Nós esclarecemos para você: ele é como se fosse o caixa do Governo Federal e representa o conjunto de receitas à disposição do Estado brasileiro. Ele é gerenciado por uma secretaria que é responsável pela administração e destinação dos recursos nacionais.

Uma das formas de a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) obter recursos é pelo lançamento de títulos no mercado financeiro, por exemplo, os títulos do Tesouro Direto. Isso quer dizer que, se você deseja aplicar seu dinheiro, você pode investir no Tesouro Direto e ter a segurança de um investimento criado e garantido pelo próprio governo.

Neste artigo, você conhecerá mais sobre essa modalidade de investimento atrelada ao Tesouro Nacional. Além disso, vai descobrir que investir no Tesouro Direto pode ser uma ótima opção pelo fato de ser muito seguro e ter uma boa rentabilidade. Acompanhe!

Quer aprender tudo sobre renda fixa e Tesouro? Curso grátis

O que é o Tesouro Nacional

Como acabamos de falar, o Tesouro Nacional é o conjunto de recursos disponíveis para o Governo Federal. No entanto, ele também é o responsável pela dívida pública do nosso país. Toda essa movimentação é gerenciada pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Esses recursos são mantidos no Banco do Brasil e só podem ser retirados para de despesas formalmente processadas e dentro dos limites dos programas financeiros nacionais.

Até 1986, os recursos recolhidos pelo Governo eram destinados a vários locais que, separadamente, faziam a gestão e destinação do dinheiro. Com a criação da Secretaria do Tesouro Nacional, em 10 de março de 1986, tudo passou a ser centralizado e administrado pelo órgão.

Além das atribuições gerais do Tesouro Nacional, ele também é responsável pela manutenção de um investimento que vem chamando a atenção de muitas pessoas e ganhando muita popularidade no mercado, o Tesouro Direto, que vamos explicar melhor logo mais neste artigo.

Como funciona o Tesouro Nacional

Como você já deve ter entendido, o Tesouro Nacional é como se fosse o caixa do Brasil, o local em que os recursos são alocados, bem como o meio que o país tem para manter seus serviços básicos, sua administração e estatais.

Para entender como funciona o Tesouro Nacional, vamos pensar em uma empresa. Ela recebe pela venda de seus produtos e serviços e deposita os valores no banco. À medida em que os recursos vão chegando, ela vai destinando parte deles para o pagamento de cada custo ou despesa, como salários, conta de luz, impostos, etc.

O Tesouro Nacional funciona basicamente da mesma forma: os recursos dele também são utilizados para o pagamento de dívidas públicas, internas ou externas, que são valores contraídos pelo próprio governo ou por suas estatais.

Você talvez tenha ouvido falar muito sobre isso na mídia, principalmente, durante o ano de 2015, quando o Governo Federal anunciou o pagamento de bilhões ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Entretanto, para pagar essa quantia, o Tesouro Nacional assumiu outra dívida. Ou seja, o montante apenas mudou de mãos.

Já falamos que a STN emite títulos públicos, mas você sabia que eles podem ser comprados com facilidade e que, além disso, você pode obter uma boa rentabilidade com eles? É sobre isso que vamos falar no próximo tópico, pois vamos te mostrar como é possível fazer um investimento no Tesouro Nacional.

Invista nos melhores investimentos da Renda Fixa com um clique. Veja agora

Tesouro Direto: o investimento do Tesouro Nacional

O Tesouro Direto é uma modalidade de aplicação financeira administrada pela STN em parceria com a B3, a Bolsa de Valores brasileira. O programa tem como objetivo a venda de títulos públicos para pessoas físicas por meio da internet, de forma muito simples, transparente e acessível, tendo em vista que é possível começar a investir com apenas R$30,00.

Além disso, o investimento em títulos do Tesouro Nacional oferece:

  • Boa rentabilidade
  • Liquidez diária
  • Baixo grau de risco

Por essas e outras, os títulos do Tesouro são excelentes opções para quem deseja investir em outras alternativas, após ter se decepcionado com o decrescente rendimento da poupança.

Conheça os títulos do Tesouro Nacional

O Tesouro Nacional oferece uma grande variedade de títulos públicos, que podem ser selecionados de acordo com o seu perfil e, principalmente, seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo.

Os títulos são divididos em três grupos principais: 

  • Prefixados, que têm como característica mais marcante o fato de quem investe saber qual será exatamente a rentabilidade da sua aplicação.
  • Pós-fixado, onde seu rendimento depende de um indexador que poderá ser a taxa Selic, por exemplo.
  • Híbridos, isto é, combinam uma parte da rentabilidade prefixada com outra parte pós-fixada.

Conheça agora os detalhes dos principais títulos do Tesouro Direto:

Tesouro Prefixado (antigo LTN)

Esse título possui um fluxo de pagamentos simples, ou seja, ao final da aplicação, você recebe todo o valor investido acrescido dos juros. Sem contar que, nesse caso, você sabe desde o momento da compra quanto vai receber quando chegar o dia do vencimento do título.

Tesouro Prefixado com juros semestrais

O Tesouro Prefixado com juros semestrais é mais indicado para quem quer ter um complemento de renda, tendo em vista que os juros sobre o capital aplicado são pagos a cada 6 meses.

Tesouro Selic

Esse investimento é atrelado à taxa de juros básica da economia brasileira. Também possui um fluxo de pagamentos simples e tem uma característica marcante que é a baixa volatilidade, evitando perdas excessivas caso seja preciso fazer a venda antecipada.

Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA é um título que tem sua rentabilidade composta por duas partes: a taxa de juros prefixada e a variação da inflação, que é medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Dessa forma, independentemente da variação da inflação, a rentabilidade total desse título, quando levado até o vencimento, sempre será superior a ela.

Tesouro IPCA+ com juros semestrais

Esse investimento tem uma rentabilidade semelhante ao exemplo que acabamos de citar, no entanto, a principal diferença é que o pagamento dos juros se dá de forma semestral, sendo uma excelente oportunidade para quem quer ter um investimento que sempre remunerará um percentual acima da inflação e receber uma renda extra a cada 6 meses.

Além de conhecer os tipos de títulos, é importante saber que o investimento em títulos públicos do Tesouro Nacional possui taxas de administração, custódia e também de Imposto de Renda. Mas o ponto positivo do IR é que ele incide de acordo com uma tabela regressiva, ou seja, à medida que o tempo de aplicação aumenta, a alíquota a ser paga fica menor.

Por fim, também vale a pena destacar que, diante de tantas opções de investimento que o Tesouro Nacional proporciona, pode parecer difícil escolher apenas um título. Mas na verdade, a escolha fica muito mais fácil quando você já sabe qual é seu perfil de investidor e tem claro na cabeça quais são seus objetivos.

Além disso, você não precisa se prender a apenas um título. Afinal, diversificar sua carteira de investimentos é uma ótima ideia para proteger seu capital e aumentar suas chances de sucesso.

Monte grátis sua carteira de investimentos. Teste grátis

Receba atualizações

E-book Guia completo do Investidor Iniciante

Últimos artigos

New Call-to-action