<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=690458111055947&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Aprenda tudo sobre o mercado de ações

 

Moderna Teoria do Portfólio x Finanças Comportamentais

A Moderna Teoria do Portfólio e Finanças Comportamentais representam diferentes escolas de pensamento que explicam o comportamento dos investidores. Talvez a maneira mais fácil de pensar seus argumentos e pontos de vistas é pensar a Moderna Teoria do Portfólio como os mercados financeiros funcionam no mundo ideal e a Finanças Comportamentais como funcionam no mundo real. Portanto, ter uma sólida compreensão da teoria e da realidade pode lhe ajudar a tomar melhores decisões de investimento.

Moderna Teoria do Portfólio

A Moderna Teoria do Portfólio é a base da maior parte do conhecimento tradicional de escolha de investimentos. Muitas ideias centrais da Moderna Teoria do Portfólio foram concebidas no início de 1960, como a hipótese dos mercados eficientes apresentada por Eugene Fama, da Universidade de Chicago.

Segundo essa teoria, os mercados financeiros são eficientes, os investidores tomam decisões racionais, os participantes do mercado são sofisticados, informados e agem apenas com as informações disponíveis. Já que todos têm o mesmo acesso às informações, todos os papéis são o tempo todo precificados corretamente. Assim, os preços sempre refletem todas as informações disponíveis e não há nenhuma maneira de você comprar uma ação a um preço vantajoso.

Outro conhecimento geral inclui a teoria de que o mercado de ações tem, em média, uma rentabilidade de 8% ao ano (resultando na duplicação do valor de uma carteira de investimentos a cada nove anos) e que o objetivo final de investir é superar um índice estático de referência. Na teoria, tudo parece bonito, mas a realidade é um pouco diferente.

Descobrindo as Finanças Comportamentais

Apesar da beleza das teorias puras, as ações muitas vezes são negociadas a preços injustificados, os investidores tomam decisões irracionais, e você teria dificuldades em encontrar alguém dono da carteira com a "média" louvável e precisa de retorno de 8% ao ano.

Então, o que isso significa? Significa que a emoção e psicologia tem um papel importante na tomada de decisões dos investidores fazendo-os se comportar imprevisível e irracionalmente. Porém, isso não quer dizer que as teorias não têm valor algum, pois às vezes elas funcionam.

Talvez a melhor maneira de considerar as diferenças entre as Finanças Teórica e Comportamental é ver a primeira como um modelo simplificado da realidade e ver a segunda como um alerta de que o teórico não é um retrato fiel dos fatos. Assim, saber ambas perspectivas lhe ajuda a investir mais conscientemente. Portanto, comparar e contrastar teorias o ajudará a se preparar para a realidade.

Eficiência do Mercado

A ideia de que os mercados financeiros são eficientes é um princípio fundamental da Moderna Teoria do Portfólio. A hipótese dos mercados eficientes sugere que os preços refletem o tempo todo as informações disponíveis sobre um papel e/ou mercado. Uma vez que todos os participantes têm acesso as mesmas informações, ninguém terá uma vantagem na previsão da rentabilidade dos preços das ações, porque ninguém tem acesso à informação antes dos demais.

Em mercados eficientes, os preços se tornam imprevisíveis de forma que nenhum padrão de investimento pode ser observado, negando completamente qualquer modelo de planejamento de investimentos.

Em sentido oposto, estudos em Finanças Comportamentais, ao investigar os efeitos das emoções do investidor sobre os preços das ações, revelam alguns padrões psicológicos previsíveis no mercado de ações.

Distribuição da Informação

Em teoria, todas as informações são igualmente distribuídas. Se isso fosse verdade, o insider trading nunca ocorreria, falências inesperadas não aconteceriam, a Lei Sarbanes-Oxley de 2002 projetada para tornar os mercados mais eficientes - porque o acesso à informação para determinados agentes não estava bastante disseminada - não seria necessária. Além disso, as preferências e habilidades profissionais também desempenham papéis importantes no funcionamento dos mercados.

Por exemplo, se você optar por não ser o tipo de analista de Wall Street porque você prefere dedicar mais tempo à família e tem outro trabalho, ou não tem tempo ou talento suficiente, o seu desempenho certamente será pior que o das pessoas pagas para passar o dia todo analisando papéis. Portanto, há claramente uma desconexão entre a teoria e a realidade a respeito das características dos investidores.

Decisões de Investimentos Racionais

Teoricamente, todos os investidores tomam decisões de investimentos racionais. É evidente que se todo mundo fosse racional, não haveria especulação, nem bolhas e nem exuberância irracional. Da mesma forma, ninguém iria comprar títulos quando o preço fosse alto e entraria em pânico e venderia quando o preço caísse.

Teorias à parte, todos nós sabemos que a especulação existe e que bolhas se desenvolvem e estouram. Além disso, décadas de pesquisas acadêmicas, como o estudo sobre a Análise Quantitativa do Comportamento dos Investidores de Dalbar, mostram que o comportamento irracional desempenha um grande papel no mercado e custa caro aos investidores.

Considerações Finais

Embora seja importante estudar as teorias e ler os estudos empíricos, os mercados são, na realidade, cheios de ineficiências. Uma das razões é que cada investidor tem um estilo único de investir e avaliar um ativo.

Por exemplo, se pode usar análise técnica, fundamentalista ou ainda investir por impulso. Muitos fatores influenciam os preços de um papel, desde de fatores emocionais, boatos e até a tradicional lei da oferta e da procura. É óbvio que nem todos os participantes do mercado são sofisticados e informados, mas entender o que os especialistas esperam, e como outros participantes do mercado agem, o ajudará a tomar melhores decisões de investimento e se preparar para reações adversas do mercado.

Saber que os mercados caem por razões inesperadas e sobem repentinamente em resposta a fenômenos diversos, pode lhe preparar para enfrentar a volatilidade e fazer negócios com mais confiança.

Entender que os preços das ações se movem em “rebanho", pois o comportamento de compra dos investidores empurra os preços para níveis inimagináveis, pode lhe fazer parar de comprar ações de tecnologia sobrevalorizadas. Da mesma forma, pode lhe fazer evitar vender um papel subvalorizado, mas ainda valioso, quando os investidores o vendem desesperadamente.

O conhecimento pode ser útil para criar um portfólio lógico, mas com os olhos atentos aos fatores irracionais, que influenciam não somente os preços das ações, mas de outros valores mobiliários também. Ser atento, aprender as teorias, compreender a realidade e fazer o dever de casa lhe trará melhores resultados, pois você estará usando a maioria do conhecimento da teoria financeira tradicional e da comportamental.

E-book - Guia de Sucesso na Bolsa de Valores
New Call-to-action

Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action