Aprenda tudo sobre investimentos

 

O que é debêntures?

Aprenda o que é e como investir em debêntures de grandes empresas

Este é um investimento frequentemente mencionado no mercado financeiro, mas seu significado não é tão simples como o de produtos de renda fixa como CDB, Tesouro Direto ou as Letras de Crédito, por exemplo.

Agora você irá entender tudo sobre estes títulos e como investir com segurança e rentabilidade.


Capítulo 1

O que é Debêntures

o-que-é-debentures

Debêntures é um título de dívida em que seu investimento é um empréstimo para determinada empresa que não seja uma instituição financeira ou uma instituição de crédito imobiliário.

Assim o investidor se torna um credor da empresa em questão e recebe juros fixos ou variáveis ao final do período pactuado.


Esses títulos podem ser de 2 tipos:

  • Conversíveis: podem ser convertidas em ações da empresa emissora, ao final do período ou em prazo estabelecido.
  • Simples: não podem ser convertidas em ações

Como esses títulos são emitidos diretamente com a empresa, eles possuem um pouco mais de flexibilidade do que uma LCA ou LCI, por exemplo. As características do título são definidas na emissão, mas podem ser renegociadas, periodicamente, entre debenturista e empresa, se assim julgarem necessário.

Veja um Guia com os melhores investimentos de Renda Fixa e Variável
Guia completo do investidor iniciante - Ebook


Capítulo 2

Rendimento Debêntures

rendimento

Assim como em outros produtos de renda fixa o rendimento deste título depende do papel, mas se parece muito com o Tesouro Direto. São divididos em prefixado, pós-fixado e híbrido.

1) Prefixados: Nessa modalidade a rentabilidade do seu título é acordada no momento da emissão. Seu rendimento será de uma taxa de juros combinada antecipadamente e você saberá o rendimento a receber ao final do período ainda na hora da compra.

2) Pós-fixados: No caso da modalidade pós-fixada a rentabilidade do título está atrelada a um indexador, como o CDI ou a Taxa SELIC, por isso você não sabe previamente como o indexador irá progredir no mercado e saberá o rendimento apenas no vencimento ou resgate do seu título.

3) Híbridos: A modalidade híbrida é como uma união do prefixado e do pós-fixado. Ou seja, você recebe uma taxa de juros combinada acrescida de um percentual de um indexador como o IPCA. Neste caso a rentabilidade também possui oscilação e você só saberá quanto irá receber ao final do período estipulado para o seu investimento.

Veja como ganhar com o CDI, Taxa Selic e IPCA
Acesse o Guia completo do investidor iniciante
Acesse agora



Capítulo 3

O que é: Debêntures Incentivadas X Debêntures Comuns

As debêntures podem ser incentivadas ou comuns. A diferença entre as duas é que no caso das incentivadas elas são emitidas por empresas que pretendem realizar projetos de infraestrutura (como estradas, portos e aeroportos) e por isso há uma vantagem sobre as comuns, elas possuem isenção de imposto de renda, o que valoriza o seu rendimento.

Já as debêntures comuns possuem tributação de acordo com uma tabela regressiva em relação ao tempo de investimento.

  Período de aplicação   Tributação
  Entre 0 e 6 meses   Imposto de 22,5% sobre a rentabilidade
  Entre 6 e 12 meses   Imposto de 20% sobre a rentabilidade
  Entre 12 e 24 meses   Imposto de 17,5% sobre a rentabilidade
  Superiores a 24 meses   Imposto de 15% sobre a rentabilidade

 

Para calcular qual a mais vantajosa então você precisar comparar a rentabilidade líquida de cada uma. Por exemplo: se você irá fazer um investimento de R$30.000 em 1 ano e precisa escolher entre uma debênture comum com rendimento de 12% ao ano e uma debênture incentivada de 10% ao ano, o cálculo seria:

  Comum   Incentivada
  12% ao ano = R$3.600,00   10% ao ano = R$3.000,00
  Imposto de 20% = R$720,00   Isenta
  Lucro líquido = R$2.880,00   Lucro Líquido = R$3.000,00

Neste caso, o melhor título seria o Incentivado. Agora, se você irá fazer um investimento de R$50.000,00 para um prazo de 3 anos com a mesma rentabilidade, a debênture comum já seria mais interessante:

  Comum   Incentivada
  12% ao ano = R$ 20.246,40   10% ao ano = R$ 16.550,00
  Imposto de 15% = R$ 3.036,96   Isenta
  Lucro Líquido = R$ 17.209,44   Lucro Líquido = R$ 16.550,00


Saiba como escolher os melhores investimentos para os melhores prazos
Veja um Ebook gratuito
Acesse agora



Capítulo 4

Prazo de Investimento

Esses títulos são investimentos de médio prazo a longo prazo. Normalmente são estipulados em pelo menos 2 anos e podem chegar até mais de uma década.

Por isso é preciso ficar atento e traçar bem o planejamento do seu investimento, de acordo com os seus objetivos, prazo disponível e o capital que você pretende investir neste título, para não correr o risco de ficar com seu dinheiro preso ou ter prejuízo ao vender seu título na bolsa.


Capítulo 5

Risco de investir em Debêntures

O maior risco de investir em uma debênture é o risco de crédito. Ou seja, da empresa não pagar o devido por seu investimento.

Neste caso, é preciso muito cuidado ao escolher seu título para diminuir o risco de calote. Por isso é importante contar com a ajuda de especialistas, especialmente porque este tipo de investimento não possui proteção do FGC - Fundo Garantidor de Crédito.

Outro cuidado necessário é com o tempo do seu investimento, pois você tem o risco de precisar do dinheiro antes do prazo de vencimento. Se isso ocorrer, terá de vender seu título e pode ter impactos em sua rentabilidade.

Outros riscos que podem influenciar sua rentabilidade:

  • Risco financeiro da empresa: se a empresa não tiver fluxo de caixa suficiente para arcar com os compromissos assumidos, você pode não receber o valor que estava acordado na emissão do título.
  • Risco de Juros: Se a taxa de juros sofrer alteração o seu investimento pode ficar menos interessante. Por exemplo, se você comprar uma debênture que paga 15% ao ano e a SELIC subir para 20%, você certamente não ficará feliz.
  • Risco cambial: Se a atividade da empresa possui alta correlação ao câmbio e o mesmo se alterar a empresa pode ter dificuldade para honrar seus pagamentos.

Invista com segurança e rentabilidade
Veja um guia dos melhores investimentos do mercado
Acesse agora



Capítulo 6

Vantagens e desvantagens

vantagens-e-desvantagens

Agora que você já sabe o que é uma debênture, vamos esclarecer quais as maiores vantagens e desvantagens deste título de renda fixa.

1) Vantagens:

  • Bom rendimento: O rendimento deste título varia de acordo com o papel, mas no geral elas possuem bom rendimento, especialmente por terem a possibilidade de acompanhar um percentual de indicadores como o CDI.
  • Isenção de impostos: Como falamos anteriormente, algumas possuem isenção de impostos, que é o caso das incentivadas. Neste caso, se você você encontrar uma boa rentabilidade este título pode ser mais vantajoso que outros títulos que possuem tributação, como o CDB, por exemplo.
  • Diversificação de carteira: Diversificar sua carteira de investimentos é uma das melhores formas de proteger seu capital e ter mais possibilidades de lucro. A debênture é mais uma opção para uma carteira variada.

2) Desvantagens:

  • Prazo longo: Investimentos com prazos mais longos podem ser uma desvantagem, pois você pode precisar do dinheiro para algum projeto que tenha surgido ou até mesmo decidir alocá-lo em outro investimento mais rentável. Neste caso você ficaria preso ao seu título ou teria de se despôr a algum prejuízo. Para se desfazer deste investimento você pode vendê-lo para outro investidor assim como faz com suas ações.
  • Não serve como margem de garantia: Alguns títulos de renda fixa servem como margem de garantia para operação em day trade de ações ou contratos futuros (como o CDB e os títulos do tesouro), o que pode ser muito lucrativo, potencializando seus resultados. No caso da debênture não há essa possibilidade, o que é uma grande desvantagem.
  • Não possui cobertura do FGC: Não possuir seguro do FGC é talvez a maior desvantagem desse tipo de investimento, uma vez que você fica exposto a um maior risco de crédito do seu dinheiro.

Conheça os melhores investimentos do mercado
Veja o Guia completo do investidor iniciante
Guia completo do investidor iniciante - Ebook


Capítulo 7

Como investir em debêntures?

Comprar esses títulos é como comprar ações na bolsa de valores e a negociação também é bastante parecida, pois você pode vendê-los no mercado a qualquer momento, caso se valorizem e você prefira efetuar os lucros. Apesar disso, como nem sempre há grande liquidez, é interessante levar em conta o prazo de vencimento do título ao investir.

A primeira coisa que você precisa saber é que você irá precisar abrir uma conta de investimentos em uma corretora. Para isso basta seguir 3 passos:

1º) Escolha a melhor corretora

Como já falamos anteriormente na Toro Radar, para investir seu dinheiro em qualquer opção desejada é primordial abrir uma conta de investimentos através de uma corretora sólida, segura e com um bom custo benefício.

As corretoras oferecem um acompanhamento especializado e uma gama maior de opções que um banco de varejo, e isso influi diretamente em seu resultado. (Saiba como escolher qual a melhor corretora de valores pra você.)

2º) Abra sua conta de investimentos

Para abrir sua conta, normalmente, é bastante simples. Basta enviar um documento de identidade, comprovante de endereço e preencher uma ficha de cadastro.

Em aproximadamente 24 horas sua conta estará aberta e pronta para investir.

3º) Envie o dinheiro para a corretora

Muitos investidores iniciantes possuem dúvidas de como concluir o processo de ativação da sua conta, mas é tão simples quanto utilizar sua conta corrente no banco.

Após a abertura da conta você irá transferir seus recursos para ela através de uma TED, normalmente. E então, seu dinheiro ficará sob custódia da corretora para que você possa comprar títulos, ações ou qualquer outro ativo.

4º) Invista em debêntures

No caso deste produto você pode investir diretamente ou através de fundos que compram e vendem esses títulos.

A vantagem do fundo de investimentos é que ele possui prazo de resgate mais curto que as debêntures e preserva a isenção de impostos quando o título tem este privilégio tributário.

A desvantagem é que você fica limitado no que diz respeito à escolha, pois você não escolhe os títulos (quem faz isso é o gestor do fundo) e ainda precisa pagar taxas de administração e performance.

Aprenda a investir com segurança e rentabilidade
Veja um guia gratuito
Acesse agora



Capítulo 8

Como escolher as suas debêntures?

Para escolher a melhor debênture para o seu perfil é preciso traçar seus objetivos e seu planejamento quanto ao valor a ser investido e prazo que pretende mantê-lo.

Então você precisa se atentar basicamente a 3 questões:

1) Prazo compatível: O prazo do título deve ser compatível com sua programação, sendo um prazo em que você não precisará daquele capital, evitando que você precise retirar o dinheiro em uma emergência, tendo possível prejuízo na venda do título.

2) Rendimento atrativo: De acordo com o prazo estabelecido como ideal pra você, é preciso escolher o título que possua rendimento mais vantajoso. Também vale a pena comparar esta rentabilidade com a de outros investimentos.


Conheça os melhores investimentos do mercado
Acesse agora



3) Bom emissor: Como a debênture não possui cobertura do FGC e é um empréstimo feito diretamente para as empresas e não para o governo ou instituições financeiras, possuindo assim mais risco, é preciso ficar muito atento ao emissor do título. Faça uma boa pesquisa se a empresa emissora é uma empresa sólida e que terá condições de arcar com seus compromissos.

Para ajudá-lo a escolher a melhor opção, você pode contar com um especialista através da Toro Radar. Basta fazer seu cadastro gratuito e você poderá acessar análises completas e objetivas de todas as empresas e tirar dúvidas diretamente com nossos analistas.

Acesse análises completas de todas as empresas da Bolsa
Faça seu cadastro gratuito



Capítulo 9

Como declarar debêntures

Declarar seu título é bem simples. Caso ele seja tributado, os impostos já são retidos na fonte e então você não precisa se preocupar, pois não tem trabalho algum. Ele será declarado no informe anual que você deve enviar à Receita Federal, junto com todos os seus investimentos.

A grande vantagem é que a própria corretora já lhe entrega um informe detalhando todos os seus rendimentos. Basta você copiar este informe na declaração.

Também não é preciso pagar nenhuma DARF ou preencher formulários especiais pelo investimento.

É sempre importante lembrar que o grande desafio deste investimento é encontrar bons emissores, empresas sólidas que irão oferecer bons rendimentos e ser capazes de honrar com seus compromissos.

E apesar do alto potencial de retorno das debentures, há investimentos onde você pode alcançar uma maior rentabilidade.

Investindo no Tesouro Direto ou CDB, por exemplo, você pode utilizar seu título como margem de garantia para operações na Bolsa de Valores. Dessa forma você pode alcançar um um ganho maior e ter seu dinheiro rendendo de duas formas diferentes ao mesmo tempo.

A grande chave para ter sucesso em seus investimento é conhecer as opções e estratégias que o mercado oferece e ter estratégia e disciplina.

Quer saber mais sobre o incrível universo dos investimentos?
Baixe o Ebook Completo e aprenda como investir como os grandes investidores

Torne-se um investidor de Sucesso
Baixe o Guia completo do investidor iniciante
Acesse agora

E-book Guia completo do Investidor Iniciante
New Call-to-action

Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action