<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1270325969674259&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">

Aprenda tudo sobre o mercado de ações

 

Taxa Referencial: Veja o valor da TR mensal e como ela influencia seus investimentos

tr-taxa-referencial

Você já ouviu falar sobre a taxa referencial? Muitas pessoas não compreendem o seu significado e qual a sua importância em alguns investimentos.

A taxa referencial, popularmente conhecida como TR, possui um importante papel na correção de alguns valores que fazem parte do nosso dia a dia. Por isso a nossa intenção é ajudá-lo a entender como funciona essa taxa.

Logo abaixo você poderá consultar o valor da TR mensal e anual, além de aprender o que é a taxa referencial e a sua influência sobre a Caderneta de Poupança, FGTS e Títulos Públicos.


Saiba como escolher os melhores investimentos do mercado
Veja o Guia Completo do investidor iniciante


Taxa Referencial - série histórica

Vejamos abaixo o rendimento da taxa referencial ao longo dos anos, desde 1991.

Tabela TR Anual
Ano Taxa TR (%)
2017 0,60%*
2016 2,01%
2015 1,80%
2014 0,86%
2013 0,19%
2012 0,29%
2011 1,21%
2010 0,69%
2009 0,71%
2008 1,63%
2007 1,45%
2006 2,04%
2005 2,83%
2004 1,82%
2003 4,65%
2002 2,80%
2001 2,29%
2000 2,10%
1999 5,73%
1998 7,79%
1997 9,78%
1996 9,56%
1995 31,62%
1994 951,20%
1993 2474,74%
1992 1156,22%
1991 335,52%

*Acumulado até Setembro de 2017
Fonte: Tabela TR retirada do Banco Central do Brasil.

TR Mensal 2017

Acompanhe o rendimento mensal da taxa referencial 2017.

Tabela TR Mensal 2017
Mês Taxa TR (%)
Janeiro 0,17%
Fevereiro 0,03%
Março 0,15%
Abril 0,00%
Maio 0,08%
Junho 0,05%
Julho 0,06%
Agosto 0,05%
Setembro 0,00%
Outubro 0,00%

Fonte: Tabela TR retirada do Banco Central do Brasil.

TR Mensal 2016

Observe agora a tabela TR mensal em 2016.

Tabela TR Mensal 2016
Mês Taxa TR (%)
Janeiro 0,17%
Fevereiro 0,03%
Março 0,15%
Abril 0,15%
Maio 0,15%
Junho 0,15%
Julho 0,15%
Agosto 0,15%
Setembro 0,15%
Outubro 0,15%
Novembro 0,15%
Dezembro 0,15%

Fonte: Tabela TR retirada do Banco Central do Brasil.

Veja como ganhar mais do que a TR
Conheça os melhores investimentos do mercado


O que é TR?

A Taxa Referencial (TR) surgiu para tentar controlar a inflação no início da década de 90, durante o Plano Collor II. Ela é uma taxa de juros da economia brasileira, sendo divulgada, nos principais portais econômicos em valores diários, mensais e histórico anual.

A Taxa Referencial ainda é muito importante para a nossa economia, visto que muitas variáveis precisam desta taxa para corrigir o seu valor diariamente. Os investimentos que precisam desta taxa são basicamente: Caderneta de Poupança, FGTS, Títulos Públicos e alguns financiamentos imobiliários.

Cálculo da TR

O valor da TR é de responsabilidade do Banco Central do Brasil (BACEN). Este órgão realiza uma pesquisa com os 30 maiores bancos do país, analisando as taxas de juros dos CDBs.O valor desta pesquisa diária foi nomeada TBF (Taxa Básica Financeira).

Para encontrar a taxa TR será preciso calcular o valor R. Para isso, a fórmula utilizada é:

R = a+b x TBF


Onde:

  • R: é o redutor
  • a: valor fixo igual a 1,005 (valor definido na criação da TR)
  • b: depende do valor da TBF e é divulgado pelo Banco Central
  • TBF: tarifa básica financeira divulgada pelo Banco Central

Com o valor de R, substitua os valores na fórmula abaixo e encontre o valor da TR:

TR = 100 x [ (1 + TBF ÷ R) - 1]


Vale ressaltar que o valor da TR nunca é negativo. Ou seja, o seu valor mínimo será igual a zero.


Aprenda a ganhar com as principais taxas do mercado financeiro

Veja o Guia Completo do investidor iniciante


Como a Taxa TR impacta os seus investimentos?

Agora que você entendeu o que significa TR, iniciaremos uma discussão sobre como a taxa referencial é utilizada e como ela influencia sobre os rendimentos dos investimentos:

  • Caderneta de Poupança
  • FGTS
  • Títulos Públicos

» Rendimento poupança e taxa referencial

rendimento poupanca e a taxa referencial

Não espere bons rendimentos para o seu dinheiro na Caderneta de Poupança. Mesmo que seja a escolha de muitos brasileiros, esta não é uma boa alternativa, já que o seu rendimento é extremamente baixo, com aproximadamente 6% ao ano mais TR, perdendo até para a inflação.

Verifique na tabela abaixo como foi o rendimento poupança ao longo dos anos.

Rendimento Poupança
Ano Retorno Absoluto (%) Retorno Real (%)
2016 8,30 1,89
2015 8,15 -2,28
2014 7,16 0,71
2013 6,37 0,43
2012 6,47 0,60
2011 7,50 0,94
2010 6,90 0,94
2009 7,05 2,63
2008 7,90 1,89
2007 7,77 3,17
2006 8,40 5,10
2005 9,21 3,33
2004 8,10 0,46
2003 11,21 1,75
2002 9,27 -2,90
2001 8,63 0,89
2000 8,32 2,21
1999 12,76 3,50
1998 15,16 13,28
1997 16,85 11,05
1996 16,34 6,19
1995 40,38 14,68

Taxa Selic e o rendimento da poupança

De acordo com alterações nas regras do rendimento da poupança, que ocorreram em 2012, a taxa básica de juros da economia, mais conhecida como Taxa Selic, passou a exercer influência na rentabilidade da Caderneta. Então é importante ficar atento, também, à variação da taxa Selic.

Para realizar o cálculo do rendimento da poupança, preste atenção em duas situações abaixo:

  • Caso a taxa de juros esteja abaixo ou igual a 8,5% ao ano, a poupança vai render 70% da Selic mais a TR.
  • Caso a taxa de juros esteja acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será fixo: 0,5% ao mês mais a TR.

Conseguiu perceber que quando a Selic aumenta, a poupança perde ainda mais o seu valor? Diante disso, acompanhe os valores da taxa Selic 2017 na tabela abaixo:

Tabela Taxa Selic 2017
Mês Índice TR Mensal (%)
Janeiro 1,0939
Fevereiro 0,8715
Março 1,0603

 

Aproveite e verifique os valores da taxa Selic no ano 2016:

Tabela Taxa Selic 2016
Mês Índice TR Mensal (%)
Janeiro 1,0629
Fevereiro 1,0095
Março 1,1698
Abril 1,0629
Maio 1,1163
Junho 1,1698
julho 1,1163
Agosto 1,2233
Setembro 1,1163
Outubro 1,0559
Novembro 1,0453
Dezembro 1,1311


Saiba como ganhar mais do que a poupança
Veja um Guia com os melhores investimentos do mercado

Guia completo do investidor iniciante - Ebook

» Saldo do FGTS e a Taxa Referencial

Uma outra influência da taxa TR na sua vida é com relação ao seu FGTS. Muitos brasileiros estão comemorando a liberação do saque do FGTS de contas inativas até dezembro de 2015.

Se você pode resgatar o seu FGTS, saiba que esta é uma ótima oportunidade para aplicar o seu dinheiro em uma alternativa mais rentável, já que o rendimento anual do FGTS é de apenas 3% mais a TR (Taxa Referencial), dependendo da data de opção da conta, que é a data de aniversário da mesma.

Ou seja, a Taxa Referencial serve como correção monetária do valor do seu FGTS, mas não chega a ser uma opção de investimento. Com isso, escolha investimentos que proporcionam melhores rendimentos.

Assim como na poupança, o dinheiro depositado em contas do FGTS acaba perdendo um pouco do seu valor ao invés de ter algum rendimento. Isso porque sua rentabilidade fica abaixo da inflação, o que quer dizer que seu dinheiro está perdendo poder de compra. Portanto, caso você tenha dinheiro em uma conta inativa, aproveite para realizar o saque e utilizá-lo em investimentos mais rentáveis.


Não deixe seu dinheiro parado no FGTS!

Saiba como investir com segurança e rentabilidade


» Títulos Públicos e a Taxa Referencial

taxa referencial e títulos públicos

Você já ouviu falar sobre este investimento? Os Títulos Públicos são títulos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional com a finalidade de arrecadar fundos para financiar as atividades do Governo. Eles também são conhecidos como títulos do Tesouro Direto.

Para melhor entendimento, suponha que você comprou do governo um título público. Isso quer dizer que você emprestou dinheiro para o governo e em troca receberá o que emprestou mais a remuneração sobre este empréstimo.

Os títulos do Tesouro são oferecidos em diversas modalidades e sua rentabilidade pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida, conforme você poderá entender melhor a seguir. Atualmente, o Tesouro Direto oferece 5 títulos principais, mas já existiram outros, e dois deles também tinham relação com o valor da TR.

Os títulos NTN-H e NTN-P possuíam a sua remuneração determinada pela variação da TR. Esses títulos não estão mais disponíveis para compra, mas alguns investidores ainda podem possuí-los em sua carteira, aguardando a data de vencimento. Atualmente existem títulos bem mais rentáveis e você conseguirá potencializar seus ganhos de uma forma incrível.

Conheça melhor as 3 modalidades de Títulos públicos e suas opções:

  • Prefixados: Tesouro Prefixado (LTN ou NTN-F)
    O investidor que adquire um título prefixado sabe exatamente a rentabilidade que irá receber ao final do investimento, pois o mesmo tem uma taxa fixa definida no momento da compra. O Título prefixado é disponibilizado em duas opções, com retirada no vencimento ou juros semestrais, antigamente conhecidas como LTN (Letra do Tesouro Nacional) e NTN-F (Nota do Tesouro Nacional Série F).
  • Pós-fixados: Tesouro Selic (LFT)
    A rentabilidade aplicada aos títulos pós-fixados é composta pela variação de uma taxa da economia. Como o próprio nome já diz, no Tesouro Direto Selic, a rentabilidade é atrelada à variação da taxa Selic. Nesta modalidade, o investidor não sabe qual será a sua rentabilidade até a data de vencimento, mas tem uma estimativa. Antigamente este título era conhecido como LFT (Letra Financeira do Tesouro).
  • Híbridos: Tesouro IPCA (NTN-B e NTN-B Principal)
    Para esta modalidade, existe uma taxa de juros prefixada no momento da compra somada a uma taxa pós-fixada, normalmente atrelada a variação do IPCA (índice oficial da inflação). Por isso esta modalidade é reconhecida como híbrida. Assim como nos títulos prefixados, o Tesouro híbrido é oferecido em duas opções, com retirada no vencimento ou juros semestrais, antigamente conhecidas como NTN-B Principal (Nota do Tesouro Nacional série B Principal) e NTN-B (Nota do Tesouro Nacional série B).

Saiba como ganhar dinheiro com títulos públicos

Baixe o Guia Completo do Investidor Iniciante

E-book - Guia de Sucesso na Bolsa de Valores
New Call-to-action

Cursos GRATUITOS sobre investimentos:

New Call-to-action